Portfólio - Textos

     MOITA____________________

O que é ser machista? Não sei bem o que isso significa, nos dias de hoje. Penso que isso está completamente fora de moda e já não existe. Nas empresas queremos gente que trabalhe bem e seja competente. Não me interessa que seja homem ou mulher. Dou-lhe o meu caso, como exemplo. Dirijo uma empresa onde trabalham mais de cem pessoas e não fazemos distinção de género.

Como diz? No conselho de administração? Bem, aí somos cinco pessoas… sim, todos homens, mas é apenas uma coincidência… sabe como é, os homens estão mais disponíveis, porque não têm crianças nem casa para cuidar, talvez por isso invistam mais na sua carreira e eu, como disse já, preciso é de pessoas inteiramente dedicadas ao trabalho, sem distrações… Não é que considere as mulheres menos inteligentes ou menos capazes. Não. Nada disso. Mais uma vez, dou-lhe um exemplo pessoal. A minha mulher tem um curso de gestão e há uns anos atrás, teve uma carreira muito promissora. Quase chegou a administradora da empresa onde trabalhava. Só não aconteceu porque tivemos que tomar uma opção familiar. Sabe como é. Com o aparecimento dos filhos tivemos que fazer opções, como em tudo na vida. Ela interrompeu a carreira para cuidar da família. Felizmente temos a possibilidade de fazer isso, porque muita gente não tem e dou graças a Deus por isso. Considero isso um luxo, nos dias de hoje. Mas claro, quando ela quiser voltar a trabalhar – e isso não interferir com a vida familiar – por mim terá sempre todo o meu apoio. Como sempre teve. E ainda irá muito a tempo de ter uma carreira de sucesso. Mesmo que não chegue tão longe como inicialmente teria ambicionado, tenho a certeza que irá ser suficiente para se sentir realizada…

Porque não eu? Bem, como já lhe disse, tivemos que fazer opções. Várias coisas pesaram, na altura. Também eu era um jovem gestor com uma carreira promissora… bem, e confesso que, apesar de em casa ajudar nas tarefas domésticas sempre que posso, não tenho muito jeito para isso… 

Bem, já estou a falar muito de mim. E o objetivo era falar das condições exemplares de trabalho que praticamos na empresa…

Agora que se fala tanto em respeitar as quotas de género, posso garantir que na minha empresa já há muito tempo que as ultrapassamos. Das cem pessoas que emprego, 70 são mulheres. Está a ver? Não há aqui qualquer discriminação. Quando muito há discriminação para o nosso lado, o dos homens…

As funções? De todos? Não? Delas? Bem, a maior parte das nossas necessidades de emprego são na confeção, logo, compreende-se que a maioria das mulheres trabalhem aí. Não é muito fácil arranjar homens para esse tipo de trabalho…

Não posso dizer que ganhem menos… bem, ganham menos porque o trabalho é menos qualificado, só por isso… O que seria de uma empresa que só tivesse administradores? Não é possível, pois não? E não quer que pague a todos como pago aos administradores que têm muito mais responsabilidades…

Não, como disse na administração não temos mulheres… mas nem todas são operárias. Temos uma telefonista. E uma pessoa muito competente, por sinal. E, claro, cada um dos administradores tem uma secretária e estamos muito satisfeitos com o desempenho delas. Como vê, não limitamos a ascensão profissional de ninguém…

Bem, e agora se me desculpa, vamos ter que ficar por aqui. Tenho um compromisso que não pode esperar. Julgo que já lhe provei à exaustão que a política desta empresa não é discriminatória. A minha experiência diz-me que as mulheres até são excelentes trabalhadoras, muitas vezes, mais esforçadas que alguns homens… E julgo até que isso nem é um assunto muito relevante neste mundo moderno e em países civilizados como o nosso. Há outros assuntos muito mais urgentes e preocupantes…

     CÁTIA_____________________

Está-lhes no sangue, desde novas, em vez de estudar, faziam o quê? Andavam aos beijos na boca atrás da escola e faltavam às aulas… O que é que elas são? (Tu sabes!)

Mas tu não Júlia, davas-te ao respeito. Só namoraste de maneira decente, na presença de adultos. Quando não quiseste ter mais intimidade com ele, o príncipe terminou a relação e contou a todos, tudo o que faziam. O teu nome está escrito nas paredes da escola… que vergonha! O que tu és Júlia? (Tu sabes!)

Mariana, ainda bem que não és burra como a Júlia, não perdes tempo com desavergonhados. Soubeste escolher, namoraste o teu melhor amigo, perdeste a virgindade com ele, tudo muito lindo e romântico. Até que engravidaste com 15 anos. O que tu és Mariana? (Tu sabes!)

Se fossem como a dona Maria… viúva, 63 anos de dedicação à família e ao trabalho, que agradece a Deus a morte do marido – era espancada diariamente, aparentemente, sem motivo aparente – só porque apetecia ao marido. A corda Às 5 da manhã, todos os dias, lá vai ela trabalhar para sustentar os filhos e os filhos dos filhos, sem tempo para vaidades. Ao voltar do trabalho, a altas horas da noite, dona Maria foi violada. Será que a dona Maria estava a vir do trabalho, àquela hora da noite!? As mulheres que andam a essas horas na rua e com esse tipo de calças - devia estar a oferecer-se, são o quê!? (Tu sabes!)

E tu?! És?! Já foste?! Ou ainda vais ser?! Todas somos, fomos ou seremos… Século XXI… é esta a realidade em que vivemos, na boca dos bem pensantes da sociedade, tu és, já foste, ou serás!

     CÉLIA_____________________

Em criança a minha mãe penteava-me o cabelo para trás – fica tão bonitinha a minha princesinha de cabelo penteado para trás. 60 escovadelas de manhã e 60 escovadelas antes de ir dormir – tão bonita a princesinha de cabelo penteado para trás.

Não podia brincar na rua porque era feio uma menina andar na rua, ficava em casa a aprender as tarefas do lar.

Não podia ir ao café, porque uma rapariga que vai ao tasco….  – como diz o meu pai…

Quando finalmente comecei a sair à noite, não podia usar batom vermelho, uma saia mais curta, está-se mesmo a ver o que era…

Mais tarde, engravidei do meu namorado, ele não quis assumir – dada, oferecida, e ele? Ele, simplesmente desapareceu, nunca mais o vi! Mas não é ele que está gravido! Ele é a vítima, porque quem tem de evitar a gravidez somo nós, a responsabilidade é minha! Abortei! – desavergonhada vais para o inferno!

Trabalho, rejeitada por ser mulher e por um dia, quem sabe, poder vir a ter filhos, aceitei um salario mais baixo fazendo o mesmo que os meus colegas!

Em casa… cozinhava, limpava, arrumava, tratava das crianças…. E tinha era sorte em não apanhar, porque para isto me casei.

Mulher independente…. - CÁLA-TE, sabes bem que há países onde a única coisa que poderias mostrar seriam os olhos!

E eu… mulher independente… de cabelo penteado para trás, como uma princesinha! Odeio o cabelo penteado para trás! Odeio o cabelo penteado para trás! ODEIO O CABELO PENTEADO PARA TRÁS!

     EDMILSON_________________

A história de uma pessoa baseia-se nas escolhas que faz ao longo da vida e nas mudanças que faz para ir contra ou a favor de essas escolhas.

Se não gostas do teu cabelo, esticas, fazes caracóis, cortas, colocas extensões, rapas, pintas, descoloras, ou fazes foleiras madeixas californianas! Tudo serve para mudares e te sentires bem contigo próprio, para marcares a tua identidade, te afirmares, dizeres aqui estou, este sou eu, e ninguém tem nada a ver com isso, és como és.

Um dia acordas e decides – é hoje, não vou continuar a fingir ser o que não sou! Sabes o que é acordar de manhã, cada manhã, olhares-te ao espelho e não te veres, não te reconheceres, não seres tu!? Passas as mãos pelo teu rosto e não te reconheces, passas as mãos pelo teu corpo e sentes que não é o teu corpo!

De que vale a felicidade escondida?!

Já imaginaram viver num corpo que não vos pertence!?

Tal como alguém disse, Ninguém nasce mulher, torna-se mulher. Tal como não nascemos homens, tornamo-nos homens… Nascemos como nascemos e tornamo-nos no somos.

     JOÃO_____________________

Apetece-me dançar, mas agora não…

Tenho a cabeça cheia, não me deixa desligar. Estão todos ocupados a ser o que lhes pedem para ser e a mim, a mim ninguém me pediu para dançar.

Será que não é suposto que o faça?

Nunca fiz senão sonhar.

Tem sido esse, e apenas esse, o sentido da minha vida.

Nunca tive outra preocupação verdadeira senão o meu cenário interior.

Nunca pretendi ser senão um sonhador.

Pertenci sempre ao que não está onde estou e ao que nunca pude ser.

Nunca amei senão coisa nenhuma.

Estou cansado de ter sonhado, porém não cansado de sonhar. De sonhar ninguém se cansa, porque sonhar é esquecer, e esquecer não pesa e é um sono sem sonhos em que estamos despertos.

A minha vida é inteiramente fútil e inteiramente triste.

Tenho sonhado muito. Também tenho despertado, mas que importa?

Quem saber sequer o que pensa, ou o que deseja?

Quem sabe o que é para si mesmo?

Não há saudades mais dolorosas do que as das coisas que nunca foram!

Não sei até que ponto consigo qualquer coisa.

Não sei até que ponto qualquer coisa se pode conseguir…

Eu só quero dançar e sentir que é normal, acalmar a minha inquietação para poder descansar em paz…

Em sonhos consegui tudo.

Há muito tempo que não existo.

Há muito tempo que não sou eu.

Nem sonhar me apetece.

Não sei o que quero ou o que não quero.

Deixei de saber querer, de saber como se quer, de saber as emoções ou os pensamentos com que ordinariamente se conhece que estamos querendo, ou querendo querer.

Não sei quem sou ou o que sou.

Tudo é vazio.

A vida é oca, a alma é oca, o mundo é oco.

É tudo um caos de coisas nenhumas.

Apetece-me dançar.

     MARA_____________________

Já que estamos aqui hoje todos juntos nesta ocasião, começo por pedir desculpa às mulheres que se encontram aqui nesta sala não porque não possam ouvir o que tenho para dizer mas porque vou falar diretamente para os homens aqui presentes.

Não se assustem não vou maltratá-los!

Peço então a vossa atenção, para todos juntos (- se quiserem até podem dar as mãos, para verem que somos todos amiguinhos; se derem: que bonitos, muito bem. Se não derem: ok, não querem dar as mãos, não há problema).

Bem mas dizia eu, vou falar-vos sobre Igualdade de género. Já todos devem ter ouvido esta expressão, se não ouviram, algo está mal! mas no final podemos conversar, assim que, não se preocupem.

Igualdade de género, para os distraídos, é um assunto que também diz respeito aos homens, por exemplo - o meu pai. Até hoje vi o papel do meu pai, como pai, ser menos valorizado pela sociedade, só porque a educação dos filhos, deve ficar a cargo da mãe!

Neste caso, podemos verificar que os homens também não possuem os benefícios da igualdade. Eles próprios também são vítimas. Ninguém fala de homens aprisionados em estereótipos de género, mas todos sabemos que a própria sociedade rotula o homem como o ser forte, o macho alfa – Homem que é homem, não chora!

No entanto, existe uma grande quantidade de jovens e adultos com problemas psicológicos - não falo de doentes mentais, mas de homens saudáveis, que são incapazes de pedir ajuda por medo que isso os faça parecer menos homens.

Há homens que são considerados frágeis e inseguros, por um julgamento distorcido e errado do que constitui o sucesso masculino.

Se os homens não precisarem de controlar, as mulheres não precisarão de ser controladas! Todos, homens, mulheres, gays, bissexuais, transgéneros, TODOS, com letra bem grande e maiúscula, todos, deveríamos sentir-nos livres. Livres para nos sentirmos fortes e sensíveis.

Chegou a hora de olharmos os sexos como um todo, em vez de uma separação por género. Se pararmos de nos definir uns aos outros por aquilo que não somos e começarmos a definir-nos pelo que somos, seremos mais livres. Livres, de preconceitos, para que todos nós, incluindo os homens, tenhamos permissão para ser vulneráveis e humanos, e ao fazermos isso, possamos todos, ser uma versão mais verdadeira e completa de nós mesmos.